António Silva, de 71 anos, foi atingido pelo animal em Guimarães.

António Silva, de 71 anos, estava habituado a fazer sozinho a matança do porco. Realizava-a da mesma forma há vários anos, na casa onde residia, em Urgezes, Guimarães. Mas, na quinta-feira, algo correu mal e o ex-emigrante foi encontrado morto, sob o animal de grande porte. As causas da morte estão ainda por esclarecer, mas ao que tudo indica, António Silva terá morrido por asfixia, depois de ter sido atingido pela porca que se preparava para matar. O animal acabou por ser abatido.

O caso aconteceu na quinta-feira, pelas 08h00. António Silva foi encontrado pela mulher, inanimado, nos anexos da moradia. “Estava caído no chão, com a porca por cima. Não se sabe se lhe deu alguma coisa repentina, ou se ao tentar pendurar a porca esta caiu e o matou”, explicou ao CM um cunhado da vítima, bastante consternado. O cadáver foi esta sexta-feira autopsiado em Guimarães e só o resultado do exame pode esclarecer o que aconteceu.

Quanto ao animal, que embora estivesse vivo, estava já ferido, acabou por ser abatido pelos serviços de veterinária da Câmara Municipal de Guimarães e deverá ser incinerado.

PORMENORES
Matança é tradição
A matança do porco para consumo doméstico é ainda uma prática comum no Minho. António Silva fazia-a sozinho. Ao que o CM apurou, atingia o animal com uma pancada na cabeça e pendurava-o num gancho para depois o sangrar até à morte.

Socorro sem resultado
Os bombeiros de Guimarães, apoiados pela equipa da VMER, ainda tentaram salvar António Silva. Mas o óbito acabou por ser declarado no local. O ex-emigrante vai hoje a enterrar, na freguesia de Urgezes, onde residia com a mulher.

Fonte: CM

(Visited 201 times, 1 visits today)

Comentários do Facebook