Homicida cumpriu 14 anos de cadeia pelo assassínio da própria mulher e estava em liberdade condicional desde janeiro de 2017.

Um homem que em 2003 matou a mulher a tiro assassinou agora, em Saragoça, a advogada que o defendeu em tribunal. José Javier Salvador Calvo, de 50 anos, suicidou-se depois de matar Rebeca Santamalia Cáncer, de 47 anos.

O homicida atirou-se de um viaduto em Teruel quando avistou uma patrulha da polícia, por volta da meia-noite de quinta-feira. O cadáver da advogada seria encontrado na casa do assassino, na rua Pradilla, de Saragoça, pelas quatro da madrugada de ontem. O corpo revelava inúmeros golpes de arma branca.

A advogada, casada e mãe de um filho, mantinha uma relação amorosa com Salvador. As buscas pelo seu paradeiro começaram quando o marido, preocupado por não a conseguir contactar, telefonou para a polícia, pelas 21 horas de quinta-feira.

O homicida estava em liberdade condicional desde janeiro de 2017, depois de cumprir a maior parte da pena de 18 anos de cadeia pelo assassínio de Patricia Maurel. Após o crime, Salvador entregou-se à polícia e confessou tudo.

Patricia foi assassinada com nove disparos de carabina. Tinha 29 anos e deixou três filhos, na altura menores, do casamento com Salvador. Quando foi morta, era cabeça de lista do PP às eleições municipais em Puebla de Híjar, comunidade de Aragão.

Fonte: CM

(Visitado 2 vezes, 1 visitas hoje)

Comentários do Facebook